Uma jovem de 22 anos, procurou a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) após sofrer assédio e ter os seios apalpados pelo dentista de 68 anos, com quem fazia um tratamento, em Campo Grande.

Na delegacia, nesta terça-feira (10), a vítima contou que iniciou um tratamento no consultório do dentista, na região central da cidade, onde ela também trabalha. Sendo que após o começo do tratamento odontológico, quando passava pelos corredores, o homem ficava a assediando.

Segundo ela, o dentista dizia: “Fico imaginando nós dois transando no motel, fica comigo”. A vítima ainda contou que no dia 27 de julho, quando foi terminar o tratamento, estava na cadeira e o dentista apalpou os seus seios. Ela saiu correndo da sala gritando que ele era ‘sem vergonha’.

Após o episódio, o assédio não parou e a mulher contou para o seu chefe o ocorrido já que trabalham no mesmo local, mas até agora nada foi feito.

Importunação sexual é crime

O crime de importunação sexual é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem sua anuência. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, como ônibus e metrô. Antes, isso era considerado apenas uma contravenção penal, com pena de multa. Agora, quem praticá-lo poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.

fonte midiamax